“Ao longo da maior parte do século XX, a emoção não foi digna de crédito nos laboratórios. Era demasiado subjectiva, dizia-se. Era demasiado fugidia e vaga. Estava no pólo oposto da razão, indubitavelmente a mais excelente capacidade humana, e a razão era encarada como totalmente independente da emoção…A emoção não era racional, e estudá-la também não era.”

– António Damásio

Fonte: DAMÁSIO, António. O Sentimento de Si. Temas & Debates, 2013, 444 páginas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *