“Do meu ponto de vista, o que se passa é que alma e o espírito, em toda a sua dignidade e dimensão humana, são os estados complexos e únicos de um organismo. Talvez a coisa que se torna mais indispensável fazermos, enquanto seres humanos, seja a de recordar a nós próprios e aos outros a complexidade, a fragilidade, a finitude e a singularidade que nos caracterizam.”

– António Damásio

Fonte: DAMÁSIO, António. O Erro de Descartes. Editora Companhia das Letras, 2004, ISBN 8571645302, 9788571645301, 336 páginas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *