“A música não exprime nunca o fenômeno, mas unicamente a essência íntima de todo o fenômeno, numa palavra a própria vontade. Portanto não exprime uma alegria especial ou definida, certas tristezas, certa dor, o medo, os transportes, o prazer, a serenidade do espírito; exprime-lhes a essência abstrata e a geral, fora de qualquer motivo ou circunstância. E todavia nessa quinta essência abstrata, sabemos compreendê-la perfeitamente.”

– Arthur Schopenhauer

Fonte: SCHOPENHAUER, Arthur. Dores do Mundo. Edigraf, 1960, 193 páginas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *