“A dor e o prazer não são imagens gémeas ou simétricas uma da outra, pelo menos não o são em termos de suas funções no apoio à sobrevivência. De certa forma, e a maior parte das vezes, é a informação associada à dor que nos desvia do perigo iminente, tanto no momento presente como no futuro antecipado, É difícil imaginar que os indivíduos e as sociedades que se regem pela busca do prazer, tanto ou ainda mais que pela fuga à dor, consigam sobreviver. Alguns dos desenvolvimentos sociais contemporâneos em culturas cada vez mais hedonistas conferem plausibilidade a essa ideia, e o trabalho que meus colegas e eu actualmente realizamos sobre a base neuronal das várias emoções reforça ainda mais essa plausibilidade. Há mais variações de emoção negativa que de emoção positiva, e é claro que o cérebro trata de forma diferente essas duas variedades. Talvez Tolstoi tenha tido uma intuição semelhante quando escreveu no início de Ana Karenina: “Todas as famílias felizes são parecidas umas com as outras, cada família infeliz é infeliz à sua maneira.”

– António DamásioVer Fonte

“Toda criatura tem direito a certa soma de felicidade, na medida em que seus sentidos e seu coração a suportam. Por pouco que me tirem, sinto-me roubado. Não sei se reclamava a vida, antes de ser; porém agora que vivo, tudo me é devido. Mas a gratidão é tão doce e é-me tão necessariamente doce amar, que a menor carícia do ar desperta um agradecimento em meu coração. A necessidade de gratidão ensina-me a fazer felicidade de tudo que vem a mim.”

– André GideVer Fonte

“A Felicidade, seja consistindo em prazer ou virtude, ou ambos, é mais freqüentemente encontrado com aqueles que são altamente cultivados em suas mentes e em seu caráter, e têm apenas uma participação moderada de bens externos, do que entre aqueles que possuem bens externos de uma forma inútil, mas são deficientes em qualidades superiores.”

– AristótelesVer Fonte

“‘Onde há risos virá a felicidade’ – este ditado exprime a Verdade. Três vezes ao dia, diante do espelho, mostra uma fisionomia alegre e grava em tua mente que estás sempre com esse semblante alegre. Após três meses, serás realmente uma pessoa feliz. Com este método simples pode-se também recuperar a saúde.”

– Masaharu TaniguchiVer Fonte

“Mas só há um mundo. A felicidade e o absurdo são dois filhos da mesma terra. São inseparáveis. O erro seria dizer que a felicidade nasce forçosamente da descoberta absurda. Acontece também que o sentimento do absurdo nasça da felicidade. “Acho que tudo está bem”, diz Édipo e essa frase é sagrada. Ressoa no universo altivo e limitado do homem. Ensina que nem tudo está perdido, que nem tudo foi esgotado. Expulsa deste mundo um deus que nele entrara com a insatisfação e o gosto das dores Inúteis. Faz do destino uma questão do homem, que deve ser tratado entre homens. Toda a alegria silenciosa de Sísifo aqui reside. O seu destino pertence-lhe.”

– Albert CamusVer Fonte