“O amor não consiste em olhar um para o outro, mas sim em olhar juntos para a mesma direção.”

– Antoine de Saint-ExupéryVer Fonte

“Não confundas o amor com o delírio da posse, que acarreta os piores sofrimentos. Porque, contrariamente à opinião comum, o amor não faz sofrer. O instinto de propriedade, que é o contrário do amor, esse é que faz sofrer. (…) Eu sei assim reconhecer aquele que ama verdadeiramente: é que ele não pode ser prejudicado. O amor verdadeiro começa lá onde não se espera mais nada em troca.”

– Antoine de Saint-ExupéryVer Fonte

“Claro que te farei mal. Claro que me farás mal. Claro que podemos, mas essa é a condição da existência. Receber a Primavera significa correr os riscos do Inverno. Se desistir agora será correr o risco do desaparecimento. Amo-te.”

– Antoine de Saint-ExupéryVer Fonte

“O essencial é invisível aos olhos. Só se vê bem com o coração.”

– Antoine de Saint-ExupéryVer Fonte

“O amor romântico, tanto na pornografia quanto na vida real, é a mítica celebração da negação feminina. Para uma mulher, o amor é definido como sua boa vontade para se submeter a sua própria aniquilação… A prova de amor é que ela está disposta a ser destruída por aquele que ela ama, pelo seu bem. Para as mulheres, o amor é sempre auto-sacrifício, sacrifício de sua identidade, desejo e integridade de seu corpo; para que satisfaça e se redima diante da masculinidade de seu amado.”

– Andrea DworkinVer Fonte

“No amor que visa à recompensa e no amor que espera ver o próximo contente existe o pego ao ‘eu’. Enquanto a pessoa tiver pensamentos como ‘Eu fiz isso e aquilo por ele; no entanto, o que ele me fez?’ ainda não está livre do apego ao ‘eu’.”

– Masaharu TaniguchiVer Fonte

“Os atritos no lar se originam do amor-apego. Os conflitos entre sogros e nora, marido e mulher, pais e filhos, por exemplo, ocorrem devido ao amor egocêntrico que se traduz em pensamentos tais como: ‘Eu fiz isso por ele (ela); no entanto, ela (ela) não reconhece…’.”

– Masaharu TaniguchiVer Fonte